Depoimento para a Posteridade - Leonardo Bruno Ferreira

  • 31/01/2022

Depoimento para a Posteridade - Leonardo Bruno Ferreira

Próxima segunda (31/1), na abertura da temporada 2022 do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, um convidado especial gravará o seu Depoimento para a Posteridade, Leonardo Bruno Ferreira, maestro, arranjador, cantor, compositor, professor e violonista. Uma história musical que vem de berço, de Coromandel, Minas Gerais, cria raízes no Rio de Janeiro e ganha o mundo.

" O maestro Leonardo Bruno, regente de grandes orquestras e compositor de obras importantes, vai deixar para as próximas gerações, como fonte de pesquisa, a sua brilhante trajetória musical, assim como o seu pai Abel Ferreira fez em 1976. Essa é a missão do nosso museu, salvaguardar em seu acervo as histórias de artistas brasileiros, relíquias da Cultura viva e pulsante do nosso país", afirmou o presidente do MIS RJ, Cesar Miranda Ribeiro.

Filho do maior clarinetista brasileiro, Abel Ferreira, Leonardo Bruno Ferreira começou a tocar ao lado do pai nos conjuntos de baile, ainda adolescente. Foi cantor lírico, parceiro de Gilberto Gil, orquestrador profissional aos 20 anos pela gravadora Philips, regente da Orquestra da Rede Globo no Festival Internacional da Canção e de diversas Orquestras Sinfônicas Brasileiras. Maestro de grandes intérpretes da música brasileira, compôs trilhas sonoras para o cinema nacional, dramaturgia televisiva, e comercial internacional estrelado pelo ator britânico David Niven. Criou com Martinho da Vila o "Concerto Negro", dedicado à Cultura Afro-Brasileira, e regeu a Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no Concerto Cênico "Orfeu Vive! Um Tributo a Tom, Vinícius e Niemeyer", de Haroldo Costa. Fundou o Coral “As Princesas de Petrópolis”, e recebeu da família do seu mestre José Siqueira, a honrosa atribuição de ser o depositário artístico da obra magistral desse gênio brasileiro. Na Universidade Federal do Rio de Janeiro, foi professor de composição e orquestração, e desde 2015, ocupa a cadeira de número 15 da Academia Nacional de Música.

O Depoimento para a Posteridade segue com a gravação presencial no Museu da Imagem e do Som, sede da Lapa, dia 31 de janeiro de 2022(segunda-feira), com as presenças de Leonardo Bruno e seus convidados, Rildo Hora (maestro, violonista, gaitista, compositor, arranjador e produtor musical) e Bruno Pongelupe (Gestor Cultural e diretor de comunicação da Orquestra Filarmônica do Rio de Janeiro), mas sem a participação do público para evitar aglomeração.

Publicado em 24/1/22 por Márcia Benazzi


#Compartilhe

Aplicativos


Programa no Ar

Pérolas do MIS

top1
1. São João Há de Sorrir

Zezé Fonseca

top2
2. A Cigarra e a Formiga

Ísis de Oliveira

top3
3. No Tabuleiro da Baiana

Ismênia dos Santos

top4
4. Seu Criado, Obrigado

Daisy Lúdici

top5
5. Solidão

Olga Nobre

Oferecimento